2 de out de 2013

What Goes Around Comes Around

Não concordo muito com essa mania que alguns têm de escolher substitutos de figuras consagradas no mundo artístico. Muitas vezes, há uma precipitação: quando surgiu, Lady Gaga foi logo apontada como a substituta da Madonna; hoje, porém, a substituta nada mais é do que uma súdita da Rainha do Pop, tamanho foi o número de referências utilizadas para dar impulso à carreira, com direito até a uma acusação de plágio. Madonna não é unanimidade, mas uma artista que, acredito, jamais poderá ser substituída.

O mesmo acho de Michael Jackson. O título de Rei do Pop, para ele, não é à toa e, dificilmente, será tomado por alguém. Mas se há um artista que merece carregar um status semelhante ao do Michael este é, definitivamente, Justin Timberlake. Não é de hoje que ele tem se mostrado um grande entertainment. Nem a pausa de seis anos na carreira musical para atuar no cinema foi suficiente para que ele fosse esquecido. Ainda que isso tivesse possivelmente ocorrido, seria impossível passar em branco com um álbum tão bom como The 20/20 Experience. Dividido em dois volumes, cujo último foi lançado oficialmente nesta semana, o disco tem mostrado que o Pop cantado por homens ainda tem salvação, pois, ultimamente, esse foi um estilo dominado, estranhamente, apenas por mulheres. Todos os méritos para Justin Timberlake são merecidos. "You go, man!"

Nenhum comentário: